Obra “Ambiente sem meios” estreia na VIII Semana Nacional do Cérebro.

Assim como a “Re-volver” e o “Polvo Carente”, a obra “Ambiente sem Meios”será exposta pela primeira vez no encerramento da VIII Semana do Cérebro, no evento “S.O.S: Cérebro na praça”. A proposta desta obra é trazer uma reflexão sobre aquilo que estamos vendo, mas não estamos querendo enxergar. Obviamente a obra não vai contra a indústria, geração de empregos ou até mesmo contra o consumo, ela apenas quer cumprir a sua função de arte, que é a de chamar atenção e fazer com que a gente reflita e trabalhe, de fato, para alguma solução ou mudança de atitudes. Apenas um pequeno exemplo: você sabe quantos canudinhos plásticos são consumidos por dia nos Estados Unidos? Nada menos que 500 milhões. Ai fica aquela pergunta, você utiliza canudinhos plásticos? Você deixa de frequentar lugares que oferecem somente o canudinho de plástico?

Esse é só um pequeno exemplo, mas que na verdade corresponde a 4% do lixo que é jogado nos oceanos.Por isso, a pretensão desta obra é contribuir para uma reflexão que se materialize em ações, por menores que elas sejam, mas que se materializem.
A obra o “Ambiente sem meios” é feita com materiais reutilizados de pvc e plástico, pneus de carrinhos de brinquedo, espelho e fuligem de carvão e glicerina. A obra dispõe de vaporizadores que expelem, permanentemente, vapor de água pelas chaminés. 

Fica o convite para ver a obra ao vivo e para refletirmos um pouco no dia 16/03/3019, na Praça XV de Novembro, em Ribeirão Preto (08h ás 17h). Até lá.


Zeppa Tudisco.

 

 

(Trilha Sonora do vídeo da arte: Organoide- Environment)